Contos de Eça de Queiroz publicados em edição bilingue em Macau

O Instituto Cultural (IC) de Macau publicou os “Contos Selecionados de Eça de Queiroz” numa edição bilingue, em português e chinês, destinada a promover o intercâmbio literário entre as duas línguas. A tradução da obra ficou a cargo da professora Han Lili e a produção é da responsabilidade da Ipsis Verbis.

A obra, integrada na “Colecção de Literatura Chinesa e Portuguesa”, inclui os contos “Um Poeta Lírico”, “No Moinho”, “A Aia”, “O Suave Milagre”, “Singularidades de uma Rapariga Loura” e “O Tesouro”, bem como uma colecção de artigos publicados em 1893 numa coluna do jornal brasileiro Gazeta de Notícias intitulada “Chineses e Japoneses”, de acordo com um comunicado do IC.

A obra foi traduzida por Han Lili, sub-directora da Escola Superior de Línguas e Tradução do Instituto Politécnico de Macau.

De acordo com o IC, aquela colecção pretende que autores e leitores ultrapassem barreiras linguísticas, reconhecendo outro mundo literário nas obras traduzidas para as línguas chinesa e portuguesa ou estrangeiras.

Eça de Queiroz (1845-1900) é dos autores portugueses mais publicados na China.

O primeiro romance do escritor traduzido para a língua chinesa foi “O Crime do Padre Amaro”, em 1984, seguindo-se “Os Maias”, “A Cidade e as Serras”, “O Primo Basílio”, “A Relíquia”, “A Capital” e “O Mandarim”.