Terça-feira, Julho 7, 2020
Inicio Lusofonia Lusofonia cara-a-cara

Lusofonia cara-a-cara

Texto Alexandra Lages

 

São 15 os embaixadores que representam os países de língua portuguesa neste momento em território chinês. À excepção de S. Tomé e Príncipe, que não possui relações diplomáticas com a China, todos os países lusófonos, da América Latina a África, passando pela Europa e pela Ásia, têm representações diplomáticas no país.

Algumas nações, como Portugal, Angola e Brasil, estabeleceram mais do que uma representação em território chinês, o que demonstra que a diplomacia lusófona na China está em clara  expansão. O Brasil, por exemplo, inaugurou este ano uma representação consular na cidade de Cantão, capital da Província de Guangdong.

Em Macau, existem consulados-gerais de Portugal e Angola, enquanto Cabo Verde, Moçambique e Guiné-Bissau estabeleceram representações honorárias. Por sua vez, Hong Kong recebeu, no início deste ano, um novo consul-geral de Angola. Já em Pequim, a nova “aquisição” lusófona é a Embaixadora Extraordinária e Plenipotenciária de Timor-Leste, que domina a língua chinesa.

 

 

Angola

Cônsul-geral na RAEM

O embaixador Rodrigo Pedro Domingos, 67 anos, foi nomeado Cônsul-Geral de Angola na RAEM em 2007. Nascido em Luanda, é formado em Direito pela Universidade Dr. Agostinho Neto. Antes de ser nomeado para liderar o primeiro consulado-geral de Angola em Macau, exerceu funções como Cônsul-Geral da República de Angola no Reino dos Países Baixos (Holanda).

 

Cônsul-geral em Hong Kong

Cupertino de Jesus Pio do Amaral Gourgel, 48 anos, foi nomeado Cônsul-Geral de Angola em Hong Kong em Fevereiro deste ano. Com licenciaturas nas áreas de Química, Oceanografia e Marketing por instituições de ensino superior angolanas, portuguesa e dos Estados Unidos, este é o primeiro cargo de diplomata que desempenha. Grande parte do seu currículo inclui cargos na companhia nacional de petróleo de Angola, Sonagol, onde desempenhava o cargo de director de marketing em Hong Kong.

 

Embaixador em Pequim

João Manuel Bernardo, 63 anos, é professor de profissão e foi nomeado embaixador de Angola em Pequim há nove anos. Antes desempenhou os cargos de Embaixador Plenipotenciário da República de Angola na República de Cuba e Concorrente na República da Nicarágua durante seis anos. No seu percurso, destaca-se o cargo de Ministro da Educação entre 1992 e 1996. Nascido em Malanje, ingressou no seminário, onde se especializou em Filosofia e Teologia. Exerceu funções de sacerdote durante cinco anos, dando aulas até desistir da vida sacerdotal missionária em 1973.

 

 

Brasil

Cônsul-geral em Xangai

Marcos Caramuru de Paiva, 57 anos, natural do Rio de Janeiro, é um diplomata com uma longa experiência nas áreas financeira e económica. Foi embaixador na Malásia entre 2004 e 2008, presidente da Unidade de Inteligência Financeira em 2003, secretário da divisão de Assuntos Internacionais no Ministério das Finanças entre 1996 e 2003, e director executivo do Grupo Banco Mundial durante três anos.

 

Cônsul-geral em Cantão

Kywal de Oliveira, 65 anos, é natural do Rio de Janeiro e foi nomeado para dirigir o novo consulado-geral do Brasil em Cantão no ano passado. Licenciado em Ciências Jurídicas e Sociais pela antiga Universidade do Estado da Guanabara, iniciou a preparação à carreira de diplomata em 1971. A sua primeira missão chegou em 1976, ao ser nomeado segundo secretário da embaixada brasileira em Buenos Aires, Argentina. Desde então, passou por Roma, Madrid, La Paz e Miami, desempenhando vários cargos nessas embaixadas. A primeira nomeação como cônsul-geral teve lugar em 1995, em Sidney. Foi também embaixador em Timor-Leste e cônsul-geral em Roterdão. No seu percurso, recebeu várias condecorações não só do Brasil mas nos países por onde passou.

 

Cônsul-geral em Hong Kong e Macau

Antônio José Rezende de Castro nasceu no Rio de Janeiro há 63 anos. Em 2010, foi nomeado cônsul-geral para Hong Kong e Macau após ter encabeçado o Consulado do Brasil em Houston, nos Estados Unidos, durante três anos. Depois de se licenciar em Administração Pública em Brasília graduou-se, em 1971, pelo Instituto Rio Branco, a Academia Diplomática brasileira, ingressando na carreira diplomática. Após ter desempenhado várias funções no Ministério das Relações Exteriores, serviu como diplomata na Europa, na América Latina e como ministro-conselheiro em Tóquio. Assumiu as suas primeiras responsabilidades como Chefe de Missão no Consulado-Geral da Ciudad del Este, no Paraguai, em 2000, e foi promovido a embaixador em Dezembro de 2004, ocupando então o posto na Embaixada do Brasil no Quénia.

 

Cônsul-geral do Brasil em Pequim

O embaixador Clodoaldo Hugueney, 68 anos, é formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e em Ciências Económicas pela Universidade do Chile, tendo iniciado a preparação à carreira diplomática no Ministério das Relações Exteriores. Em 1993, assumiu o cargo de embaixador em Caracas (Venezuela). Assumiu vários cargos públicos no Ministério das Relações Exteriores, incluindo o de chefe do departamento económico e sub-secretário para a integração e relações comerciais e económicas externas. Passou por Santiago, Washington, Londres, Bruxelas e Genebra a encabeçar missões diplomáticas, como as da Comunidade Europeia ou das Nações Unidas.

 

 

Cabo Verde

Embaixador de Cabo Verde em Pequim

Júlio César Freire de Morais, nascido em Moçambique há 52 anos, é embaixador de Cabo Verde em Pequim desde Julho de 2005. Tem o grau de mestre em Relações Internacionais pela Universidade Estatal de Kiev (Ucrânia), sendo fluente em russo. Antes de ser nomeado embaixador em Pequim, foi durante seis anos director-geral do departamento de Cooperação Internacional do Ministério de Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades. Grande parte da sua carreira foi feita nesse ministério. Porém, entre 1991 e 1994, assumiu funções de encarregado de negócios na Embaixada de Cabo Verde na Federação Russa.

 

Cônsul Honorário de Cabo Verde em Macau

O empresário e ex-deputado à Assembleia Legislativa de Macau David Chow Kam Fai, 60 anos, natural de Hong Kong, foi nomeado Cônsul Honorário de Cabo Verde em Macau em 2001. O proprietário dos empreendimentos turístico Doca dos Pescadores e Landmark Macau é licenciado em Gestão Hoteleira com uma especialização na indústria do jogo. Foi eleito deputado por sufrágio directo pela primeira vez em 1996. Nas primeiras eleições após a transferência, o seu mandato foi renovado, tendo-se retirado da vida política em 2009. Em 2006, integrou a lista dos dez talentos da China e foi distinguido com o Prémio de Altruísmo da China – Filantropo Benemérito do Ano 2008.

 

Moçambique

Embaixador de Moçambique em Pequim

António Inácio Júnior, 48 anos, foi nomeado para chefiar a Embaixada de Moçambique em Pequim em 2002. Nascido em Quelimane (costa de Moçambique), é licenciado em Relações Internacionais pelo Instituto Superior de Relações Internacionais de Maputo e possui um diploma em Ciências do Desenvolvimento e Cooperação Internacional pela Universidade Moderna de Lisboa. Ingressou no Ministério moçambicano dos Negócios Estrangeiros em 1981. Em 1996, foi nomeado chefe do departamento de África e Médio Oriente e, em 1997, promovido a conselheiro do ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação. Antes de ser nomeado embaixador, desempenhou a função de director da divisão de África e Médio Oriente durante quatro anos.

 

Timor-Leste

Embaixadora de Timor-Leste em Pequim

Vicky Tchong é a segunda embaixadora de Timor-Leste em Pequim. Foi nomeada em 2011 Embaixadora Extraordinária e Plenipotenciária.

Tchong fez toda a educação primária e secundária em Díli e licenciou-se na Universidade Normal Nacional de Taiwan, prosseguido estudos de pós-graduação na Universidade La Trobe, em Melbourne. Antes de ser nomeada para dirigir a embaixada timorense na capital chinesa, desempenhava funções de secretária-geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

 

Portugal

Cônsul-geral de Portugal em Macau

Manuel Cansado de Carvalho, 52 anos, foi nomeado cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong em 2009. É licenciado em Direito pela Universidade Católica de Lisboa. Diplomata desde 1987, tem experiência em Relações Europeias, tendo também estado envolvido em questões de Defesa, na transição da Europa de Leste, direitos humanos e assuntos asiáticos. Esteve envolvido em todas as presidências portuguesas do Conselho da União Europeia e foi porta-voz da Presidência portuguesa, em Bruxelas, em 2007. Esteve presente como membro da delegação portuguesa em mais de 30 sessões do Conselho Europeu, incluindo o lançamento da Estratégia de Lisboa e o euro. Foi temporariamente embaixador de Portugal em Cabo Verde.

 

Cônsul-geral de Portugal em Xangai

Joaquim Alberto de Sousa Moreira de Lemos, 50 anos, é natural de Lisboa e licenciado em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa. A primeira função enquanto diplomata foi na embaixada de Brasília entre 1991 e 1995. Passou ainda pela embaixada de Madrid, onde desempenhou funções durante quatro anos. Foi nomeado cônsul-geral de Portugal em Lyon em 2004. Tornou-se especialista em assuntos do Mediterrâneo e chefiou a representação diplomática portuguesa na Tunísia. Chefia a delegação portuguesa em Xangai desde 2009.

 

Embaixada de Portugal em Pequim

O diplomata José Tadeu da Costa Sousa, 61 anos, natural do Porto, é embaixador de Portugal em Pequim desde 2010. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, foi secretário-executivo adjunto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, director-geral dos Assuntos Comunitários e director de Serviços dos Assuntos Multilaterais. Foi também cônsul-geral em Paris e acumulou cargos de embaixador em vários países do Sudeste Asiático – Tailândia, Singapura, Vietname, Camboja, Malásia, Myanmar e Laos.

 

Guiné-Bissau

Embaixador da Guiné-Bissau em Pequim

O embaixador Arafan Ansu Camara foi nomeado para dirigir a embaixada da Guiné-Bissau em Pequim em 2010. O veterano diplomata trabalhou na Suécia, na Guiné-Conacri e na ex-União Soviética.

 

Secretário-Geral Adjunto do Fórum Macau

Marcelo Pedro D’Almeida, 55 anos, é desde Março o novo secretário-geral adjunto do Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, que tem sede em Macau. Natural de Farim, na Guiné-Bissau, Marcelo Pedro D’Almeida licenciou-se em Economia pela Universidade de Havana, em Cuba, onde também se especializou em Comércio Externo. Frequentou uma formação diplomática e consular em Portugal em 1990 e 1991 e iniciou carreira como economista no Gabinete de Estudos e Planificação do Ministério do Comércio e Turismo da Guiné-Bissau em 1993. Cumulativamente, desempenhou várias funções como administrador de empresas, encarregado de negócios em várias embaixadas guineenses espalhadas pelo mundo e na área da consultadoria, entre outros.

 

ARTIGO