Sexta-feira, Junho 5, 2020
Inicio Espectáculos & Exposições Cartaz :: Abril a Maio 2014

Cartaz :: Abril a Maio 2014

ESPECTÁCULOS
Agenda 

A violinista japonesa Akiko Suwanai e o pianista irlandês Barry Douglas são duas das figuras de referência mundial que tocam com a Orquestra de Macau esta temporada. Ficam aqui alguns concertos a ter em atenção até Agosto:

17 e 18 de Abril | Concertos de Páscoa

Igreja de S. Domingos

 

25 e 26 de Abril | O Conto do Soldado

Teatro D. Pedro V, 15h00 / 20h00

 

13 de Maio | O Oriente encontra o Ocidente

Centro Cultural de Macau, 20h00

 

6 de Junho | Concerto de Cordas de Beethoven

Teatro D. Pedro V, 20h00

 

15 de Junho | A Glória de Viena

Centro Cultural de Macau, 20h00

 

19 de Julho | Som do Novo Mundo

Teatro Dom Pedro V, 20h00

 

3 de Agosto | Noite Russa

Centro Cultural de Macau, 20h00

 

*****

A Reencarnação da Ameixa Vermelha: O espírito da ópera cantonense

Encenada por Pak Suet Sin, a melhor tradição da ópera cantonense está de volta a Macau com uma romântica obra-prima do dramaturgo Tong Dik Sang.

 

De 17 a 22 de Abril

19h00

Grande Auditório do CCM

Bilhetes a partir de MOP 100

 

 

Rui Veloso ao vivo

O músico Rui Veloso é a grande atracção das comemorações em Macau dos 40 anos do 25 de Abril, num espectáculo organizado em parceria pela Casa de Portugal e Fundação Oriente.

25 de Abril

20h00

Grande Auditório do CCM

Bilhetes a MOP 100

 

 

Stacey Kent: The Changing Lights

A cantora norte-americana chega à RAEM para apresentar o seu 10.º álbum, The Changing Lights, no qual celebra a música brasileira, interpretando Tom Jobim e Vinicius de Moraes, Sérgio Mendes, Roberto Menescal e Marcos Valle.

 

26 de Abril

19h45

Venetian Theater

Bilhetes a partir de MOP 180

 

 

A noite de Macau:

Espectáculo de variedades

Espectáculo que mistura estilos ocidentais e orientais de truques de magia, dança e comédia stand-up. O mestre de magia Ding Jian-zhong comanda a noite, com números da Broadway, jazz, dança havaiana e pequenas actuações de teatro.

 

Até 11 de Maio

20h00

Sands Theater

Bilhetes a MOP 350

 

 

 

EXPOSIÇÕES

 

 

As ideias nas telas de Manuel Casimiro

 

O artista português traz a Macau uma exposição cujas obras tentam uma aproximação aos códigos da pintura chinesa. São 144 obras para ver na Galeria do Tap Seac até 3 de Maio

 

Pintar a ideia, mais do que imitar o real. É este o programa da exposição que Manuel Casimiro traz a Macau até 3 de Maio, na Galeria do Tap Seac, naquela que é a estreia do artista português na RAEM. Num conjunto de 144 obras, o artista, que é filho do cineasta Manoel de Oliveira, associa alguns trabalhos que tem no seu acervo de mais de três décadas de carreira a outros que criou nos últimos dois anos propositadamente para a exposição de Macau.

Neles pintou montanhas e rios, jogos e muito vermelho, a cor que, na cultura chinesa, “aniquila os poderes nefastos, exprime felicidade e é também a cor do sangue, da vida e do poder”, escreve o artista no texto de apresentação da exposição. “Na pintura chinesa, não haverá a preocupação de imitar o mundo, mas antes de o convocar de um modo sensível, privilegiando a representação de paisagens, onde figuram montanhas (yang) e água (yin). Pintar uma paisagem é revelar a profundidade espiritual e subjectiva”, refere.

Nascido no Porto em 1941, Manuel Casimiro recebeu em 1976 uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian para desenvolver um projecto de investigação na área das artes visuais, partindo então para França por dois anos. Viajou pela Europa e EUA, viveu em Nova Iorque entre 1978 e 1979 e mais tarde fixou-se em Nice, onde permaneceu por 18 anos. Expôs pela primeira vez em 1968 na Galeria 111 e já conta no currículo com mais de 40 exposições individuais e outras 80 colectivas, passando por Espanha, França, Suíça, Bélgica, Reino Unido, EUA, Brasil e Japão.

A sua obra, para além de figurar em colecções privadas em diversos países, marca também presença no espólio de diversos museus, entre os quais o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa), o Museu Colecção Berardo (Lisboa), a Fundação de Serralves (Porto), o Centro Galego de Arte Contemporânea (Santiago de Compostela), Museu Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporânea (Badajoz), o Museu de Arte Moderna e Contemporânea de Nice, ou o Museu Municipal João de Castilho – Núcleo de Arte Contemporânea (Tomar).

Em 2008, editou a obra 100 Anos, 100 Livros, com um conjunto de textos da autoria do realizador Manoel de Oliveira escritos entre 1991 e 2008. Para compor as páginas, ilustrou-as com desenhos feitos com uma caneta em prata maciça.

Depois da exposição em Macau, Manuel Casimiro segue para a Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, onde irá mostrar em Outubro uma série de 30 pequenas pinturas inéditas inspiradas na obra do autor de O Livro do Desassossego.

 

Pintar a Ideia: Exposição de Manuel Casimiro

Galeria do Tap Seac

Até 3 de Maio

Todos os dias, das 10h às 19h

Entrada gratuita

 

 

Outras exposições: 

 

Febre: Exposição de Artistas de Macau

São 66 obras de 15 artistas da nova geração de Macau que estão em exposição pela primeira vez em Portugal. Entre os trabalhos, há pintura, fotografia, escultura e vídeo que pretendem assinalar os 15 anos do estabelecimento da RAEM.

 

Até 27 de Abril

De terça-feira a domingo

Museu do Oriente

Av. Brasília, Doca de Alcântara (Norte), Lisboa

Entradas a 5 euros

 

****

 

Grafito, Labirinto: Exposição de Criação Colectiva

Nesta exposição colectiva, o Armazém do Boi convida artistas locais a deixarem a sua marca num corredor, onde o público assiste in loco todo o processo de criação.

 

Até 4 de Maio

Armazém do Boi, Macau

De quarta a segunda-feira

Entrada gratuita

 

****

 

Último Romance de Macau: Fotografias de Birdy Chu

São fotografias da década de 1990 captadas pelas lentes do fotógrafo de Hong Kong Birdy Chu, que têm como objectivo mostrar a evolução do espaço urbano de Macau.

 

Até 13 de Abril

Armazém do Boi, Macau

De quarta a segunda-feira

Entrada gratuita

 

 

****

 

Ilustrações de Hong Kong e Macau

A exposição apresenta dez ilustradores de Macau e de Hong Kong com diferentes carreiras, formações e antecedentes culturais e, portanto, com estilos artísticos bem diversos.

 

Até 20 de Abril

Museu de Arte de Macau

De terça-feira a domingo

Bilhetes a MOP 5

ARTIGO