Quarta-feira, Dezembro 2, 2020
Inicio Cultura Ícones chineses: Kau cim

Ícones chineses: Kau cim

 

http://www.dreamstime.com/stock-photography-chinese-fortune-sticks-image2498492

 

Qualquer um pode fazer o Kau Cim e encontrar o presságio que procura num manuscrito com os caracteres das hastes descodificados. Mas esta arte, baseada em O Livro das Mutações, ganha com a inspiração de um vidente, seja monge ou sifu, mais habilitado a desvendar o mistério das mensagens animadas pela poesia clássica chinesa. São quatro frases ligadas a histórias antigas e o seu significado, conhecido de poucos, define a resposta ao pedido.

É sobretudo eficaz em santuários, onde nem sempre o cim é do mesmo tipo. Em Macau, no Templo de Kun Iam o monge Seng Iok explica que é utilizado o Kun Iam Cim, cuja leitura é feita sob os auspícios dessa mesma Deusa da Misericórdia. No cilindro agitam-se apenas 60 hastes que “são numeradas segundo a ordem de 天支地干, os dez caules celestes e os 12 ramos terrestres do calendário tradicional chinês”. Em Kun Iam Tong, cobra-se cinco patacas para lançar o cim, popular no primeiro mês do calendário lunar. Decifrar é de graça mas o monge deixa o apelo: “Quem gostar da experiência deve fazer uma doação ao templo.”

Em Hong Kong o Kau Cim é a grande atracção do templo taoista Wong Tai Sin (黄大仙祠), onde acorrem milhares de visitantes em busca das previsões do futuro. Ali se promete “o que pedes será atendido” (有求必應). Apesar de ser famoso, perde para o templo Che Kung, sempre escolhido no Ano Novo Chinês por um membro do governo para o chocalho dos pauzinhos. Assim se sabe o que aguarda Hong Kong nesse ano. É que o presságio do cim só vale por 12 meses.

Há quem diga que o Kau Cim é falível, por isso outras artes são convidadas a ajudar. Alguns mestres não dispensam a confirmação dos Jiao Bei (筊杯). Lançam estes pedaços de bambu em forma de meia-lua, logo depois de interpretar a mensagem da haste imperador. São feitos três lançamentos e só a conjugação dos mesmos e a sua ordem dá razão ou não ao cim. Conforme a posição, se apura a verdade do presságio. E, reza a lenda, que os deuses se riem do devoto sempre que as meias-luas ficam de barriga para baixo. É preciso insistir e voltar a perguntar.

 

Além fronteiras

Foi na durante a Dinastia Qin que o Kau Cim ganhou estatuto de oráculo, mas foi nos Estados Unidos, depois da 1.ª Guerra Mundial que teve maior popularidade. Passou a chamar-se Chi-Chi Sticks e perdeu 22 das 100 hastes de ponta vermelha que tradicionalmente enchem o cilindro de bambu. Depois passou de moda e só voltou a estar em voga nos anos 90. Hoje em dia, o Kau Cim é uma peça vintage muito procurada e tem uma versão bem moderna nas aplicações para smartphones.

 

Mil e um nomes

O Oráculo de Kuan Iam (tradição budista)

Pauzinhos da Sorte

Chi-chi Sticks

Chinese Fortune Sticks

 

Adivinhação passo a passo

  1. Aproxime-se do altar com a cabeça baixa.
  2. Coloque oferendas, como pêssegos, pêras e moedas, e acenda pauzinhos de incenso perto dos pés do deus.
  3. Sussurre ou pense numa pergunta, sem hesitar.
  4. Segure o Kau Cim com as duas mãos e concentre-se no seu pedido.
  5. Incline ligeiramente o cilindro e abane-o um pouco até que apenas uma haste caia no chão.
  6. Veja no papel que número corresponde ao da haste e leia a mensagem, ou peça a um monge que interprete os caracteres.

ARTIGO