Sexta-feira, Outubro 30, 2020
Inicio Ásia Inaugurada cátedra em português na Universidade de Goa

Inaugurada cátedra em português na Universidade de Goa

 

“A cátedra representa a consolidação dos estudos do Departamento de Português da Universidade de Goa, e com este projecto podemos avançar para programas mais avançados nas áreas da linguística, da literatura comparada e dos estudos culturais”, disse à agência Lusa o responsável pelo Departamento de Português, Delfim Correia da Silva.

“Dentro dessa área de estudos culturais teremos a participação de diversos especialistas, desde arquitectura, música, mas também história e as artes em geral”, acrescentou.

Financiada pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, foi designada Cátedra Joaquim Heliodoro da Cunha Rivara em homenagem ao “acérrimo defensor do Concani” e responsável por “vários trabalhos de investigação sobre a relação entre esta língua indiana e o Português”.

A inauguração contou com uma palestra do professor Hugo Cardoso que “tem desenvolvido imenso trabalho de investigação na relação do português com os crioulos asiáticos e também com as línguas do sul da Ásia e em particular na Índia”, explicou Delfim Correia da Silva.

“Era para nós fundamental que a cátedra se iniciasse com esta área de investigação – a linguística. (…) No caso de Goa é importante estudarmos de forma científica e sistemática todas as influências que se verificaram e os resultados do contacto linguístico entre o Português e o Concani”, acrescentou o responsável pelo Departamento de Português.

De acordo com o plano de actividades apresentado por Hugo Cardoso para os próximos três anos, além da oferta de um curso opcional para os alunos da Universidade de Goa, é também contemplado um projecto de investigação que “vai-se centrar, por um lado, no estudo da especificidade do português falado em Goa e, por outro, na relação do português com as línguas asiáticas e com as línguas indianas em particular”.

Goa tem um universo de alunos de português estimado em 1.500, a maioria no secundário (entre 800 e 900).

Na Universidade de Goa um total de 15 alunos estão inscritos em estudos de mestrado e dois estudantes estão a realizar pré-doutoramentos, existindo ainda mais de 100 alunos inscritos nos cursos opcionais de português.

Para Delfim Correia da Silva, “uma das mais-valias da cátedra será – com o apoio de orientadores, especialistas das [várias] áreas –, poder avançar a curto-prazo com um programa de doutoramento”.

A Cátedra Joaquim Heliodoro da Cunha Rivara começou a ser desenvolvida no ano passado: “A ideia de o Camões apostar em Goa aconteceu em 2015, o processo de assinatura do protocolo de entendimento foi realizado a 7 de Abril, a comissão organizadora foi formada em Junho e portanto [a criação deu-se em] novembro”.

O projecto arranca com 35 vagas: 25 para alunos da Universidade de Goa e dez para alunos externos.

“Penso que teremos ‘casa cheia’”, disse Delfim Correia da Silva.

“Os alunos inscritos da Universidade [de Goa] são do departamento de Português, Inglês, História, e penso que há algumas inscrições do departamento de Concani. Relativamente aos alunos externos, a formação desses alunos é muito variada: alguns presumo que serão funcionários dos arquivos, das bibliotecas, [são] alunos com perfil muito diversificado”, acrescentou.

No âmbito da criação da cátedra, até à data foram formalizados três convites a professores de Portugal e, segundo Delfim Correia da Silva, o objetivo é alargar o leque de professores convidados a outras áreas, designadamente o ensino de português como língua estrangeira e literatura.

A sessão de inauguração da cátedra em língua portuguesa contou com a presença da secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro.

ARTIGO