Terça-feira, Agosto 11, 2020
Inicio Cultura O pulsar da cidade no pequeno ecrã

O pulsar da cidade no pequeno ecrã

 

 

Texto Sin Iok I

 

No final deste ano, e para assinalar os 20 anos do estabelecimento da RAEM, o grande público chinês poderá assistir, pela primeira vez, uma telenovela que tem como pano de fundo Macau, as suas gentes e as suas características próprias. “Rua de Macau” terá entre 100 e 150 episódios com muito humor e ironia versando o dia-a-dia da região administrativa especial.

Segundo a Associação de Promoção do Desenvolvimento Cultural de Macau, que está encarregue da produção, esta nova telenovela tem um duplo objectivo: dar a conhecer Macau na Grande China ao mesmo tempo que ajudará a região a formar uma equipa de profissionais de filmagem, dando oportunidade de aumentar a experiência a muitos quadros locais.

A pré-produção arrancou em finais de Abril e só deve estar totalmente concluída em 2023. Ainda assim, a equipa responsável pelo projecto pretende que na altura das celebrações do 20.º aniversário da RAEM, a 20 de Dezembro, o primeiro episódio possa já estar pronto para ser transmitido mais tarde no pequeno ecrã.

Grande parte do enredo passa-se nas ruas de Macau e, para além de actores profissionais, vários pequenos comerciantes e residentes dos bairros históricos da cidade vão entrar como figurantes.

“A telenovela tem uma história ficcionada que desperta emoções, ao mesmo tempo que mostra a realidade da cidade e a sua vida social. Um dos pontos mais importantes é retratar a simplicidade, a bondade e a ajuda mútua do povo de Macau”, assinalou Fu Zhiping, produtora da “Rua de Macau”, acrescentando que cada episódio contará com 48 minutos de duração.

A telenovela vai contar ao público uma história que para os residentes locais pode parecer banal: um senhor de idade que gere há muitos anos um estabelecimento de comida, vivendo em conjunto com três filhos – um ajuda no negócio familiar, outro é croupier num casino e o terceiro acabou de regressar do estrangeiro.

A sua vida calma muda quando mesmo ao lado do seu negócio de família um restaurante macaense abre portas. O dono do estabelecimento concorrente é um jovem macaense, que não quer ficar a gerir o negócio do pai de exportação de enlatados de Portugal. A trama desenrola-se muito centrada na concorrência entre os dois lados, mas ainda assim há espaço para um amor entre os jovens de restaurantes diferentes, numa espécie de “Romeu e Julieta” da restauração.

Co-produção

Fu Zhiping explicou que todas as cenas de interiores serão gravadas em estúdios da vizinha cidade de Zhuhai e todos os exteriores serão captados em Macau.  Há, porém, outros desafios, como, por exemplo, encontrar pessoal capacitado na área da televisão e do cinema. “Sabemos que a área de filmagens em Macau ainda não está completamente madura, porque faltam pessoas com formação e experiência. Por isso, encontrar quadros técnicos tem sido um desafio”, explica.

A solução é então formar pessoal para que no futuro mais produções do género possam vir a ser feitas. “Um dos objectivos mais importantes da produção desta telenovela é formar uma verdadeira equipa de filmagens para televisão e cinema de Macau”, destacou Fu Zhiping.

O guião, que está a meio caminho de estar pronto, está a ser escrito por dois profissionais de Pequim em conjunto com um de Macau, que tem a missão de adaptar as situações que vão ser vividas no pequeno ecrã à realidade local. Já para a equipa técnica, têm sido seleccionados técnicos tanto locais como do Interior do País. Neste momento, a produção da “Rua de Macau” está a recrutar actores, sobretudo em cidades chinesas próximas a Macau.

 

ARTIGO