Quinta-feira, Julho 2, 2020
Inicio Cooperação Macau na maior feira moçambicana de negócios

Macau na maior feira moçambicana de negócios

Texto Dalton Sitoe      EM MOÇAMBIQUE

A China e a sua Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) estiveram representadas na maior montra de negócios de Moçambique, a 54.ª Feira Internacional de Maputo 2018 (FACIM), organizada pelo governo moçambicano por meio da Agência para a Promoção de Investimento e Exportação (APIEX). Trata-se de um evento de negócios que reuniu mais de 32 países expositores num só espaço, em Ricatla, distrito de Marracuene, entre 28 de Agosto e 2 de Setembro. Participaram mais de 3000 empresas moçambicanas e 750 empresas estrangeiras, que receberam mais de 90 mil visitantes. 

Sob o lema “Moçambique e o Mundo, alargando o mercado, promovendo investimento e potenciando parcerias”, a feira decorreu num recinto da exposição aberto, mas de acesso protegido. Os stands dos expositores ficavam dentro de grandes pavilhões feitos de tendas.  

Dentro do espaço onde decorria a feira, a atmosfera era animada. O som do movimento humano e de música preenchiam aquele espaço. Cada expositor, sobretudo fora das tendas, procurava captar atenção dos visitantes, uns apresentando números artísticos e culturais, e outros com actuações de músicos ou bailarinos. 

A China e a RAEM estiveram no Pavilhão Tunduro, onde também estavam empresas sul-africanas, portuguesas, alemãs, japonesas e de outros países. A China foi representada pela Super Tent, uma empresa que produz tendas. À MACAU, a gerente da Super Tent, Inês Yan, deu-se por satisfeita. “Já tínhamos uma certa presença em Moçambique, e aceitámos o convite de vir cá para mostrar que somos uma empresa credível e divulgar ainda mais o nosso produto. É a primeira vez que viemos participar neste evento. Sentimo-nos satisfeitos, porque desde o primeiro dia conseguimos estabelecer parcerias e conquistar mais clientes.” 

Se por um lado, era uma oportunidade para fazer negócio, por outro foi uma oportunidade para apreciar o que é feito em Moçambique e conhecer uma porção da cidade de Maputo, capital moçambicana. “Gostamos desta cidade, é muito bonita. Estamos hospedados junto à marginal e com vista para o mar, que é muito bonito. É uma cidade com um clima muito agradável e tem pessoas muito simpáticas e atenciosas”, apreciou a gerente. 

Ao lado do stand da Super Tent, estava a representação da RAEM, que chamava a atenção por uma grande foto da ponte Sai Van. Na sua bagagem, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) levou consigo revistas e panfletos que apresentavam o mundo de negócios em Macau, sobretudo de eventos e exposições organizados na região, dando a cada pessoa que por ali passava a oportunidade de poder conhecer os acontecimentos principais e recentes do mundo de negócios de Macau. 

Para o IPIM, a FACIM foi também uma ocasião para poder divulgar a 23.ª Feira Internacional de Macau (MIF) como chave para oportunidades de negócios. Sobre o evento, a ter lugar em Outubro, o stand promoveu as actividades a serem feitas e o balanço resumido da edição passada. 

A FACIM, sigla para Feira Agro-Pecuária, Comercial e Industrial de Moçambique, é um evento que reúne produtores, vendedores, investidores, importadores, exportadores, compradores. O objectivo principal da FACIM é a promoção das trocas comerciais, estimular a produção e o consumo, e a integração económica de Moçambique na economia mundial.  

O país tenta recuperar de um período de crise económica e financeira, procurando diversificar o leque de exportações – actualmente concentrado em minerais da indústria extractiva e de olhos postos na produção de gás natural aguardada para daqui a quatro anos. 

ARTIGO