Quinta-feira, Julho 9, 2020
Inicio Cultura O festival que quer transformar a vida artística da cidade

O festival que quer transformar a vida artística da cidade

Texto Catarina Domingues | Fotos Instituto Cultural de Macau

A vida de Grace Kelly, a actriz que se tornou princesa do Mónaco, musa de Andy Warhol e de Alfred Hitchcock, está agora em exposição em Macau. Mais de 100 peças do acervo do Palácio do Príncipe do Mónaco, entre fotografias e objectos pessoais da norte-americana, integram a mostra “Grace Kelly: De Hollywood ao Mónaco – Homenagens aos artistas”, que pode ser vista até 28 de Agosto.

“Vai transportar o público numa viagem que abarca história, legado, moda e artes”, escreveu num comunicado o organizador, que criou uma galeria temporária, especialmente para a ocasião, com o apoio de Thomas Fouilleron, curador e director dos Arquivos e Biblioteca do Palácio do Príncipe do Mónaco.

A mostra sobre a vida da actriz-princesa integra a primeira edição do “Arte Macau”, festival  internacional que ao longo de cinco meses vai trazer à cidade exposições, concertos e outras actividades culturais, e que resulta de parcerias com consulados estrangeiros e também com resorts da região. É que o Governo de Macau quer um maior envolvimento das operadoras de jogo na programação cultural local. Aqui alguns exemplos: até 3 de Setembro “Hua Yuan”, “uma experiência artística em pintura a tinta moderna”; até 6 de Outubro “Jardim das Delícias Terrenas”, uma selecção de peças de arte moderna e contemporânea de vários artistas, incluindo Herb Alpert, Robert Indiana ou Refik Anadol;  “Tudo o que é Ouro Brilha”, com cerca de 80 obras-primas de cerâmica de mais de 20 artistas de todo o mundo.

O website oficial do festival refere, além disso, que esta primeira edição do “Arte Macau” vai contar ainda com a participação dos consulados de Portugal, Japão, Itália, Hungria e Bélgica: “Cada um dos quais organizará uma exposição de arte única, de acordo com os costumes e recursos culturais do seu país. Estas exposições irão proporcionar novíssimas experiências visuais ao público de Macau, promovendo o intercâmbio artístico e realçando a compreensão mútua entre regiões e países através de canais culturais”.

O Consulado-Geral de Portugal em Macau e Hong Kong preparou uma série de exposições e actividades relacionadas com o Dia de Portugal; a delegação japonesa em Hong Kong, em colaboração com a Tipografia Toppan, preparou uma exposição de cartazes sobre a cultura e as artes cénicas japonesas; Itália, por sua vez, explora as “Cores da Ásia” com pinturas do artista Francesco Lietti, subordinadas aos temas das viagens e descobertas; o Consulado-Geral da Bélgica em Hong Kong optou pela instalação visual e sonora “Anos Prósperos”, da dupla de artistas Benoit+Bo; e a exposição “Olhar o Credível – Tapeçarias de Zsuzsa Péreli” é uma iniciativa do consulado húngaro.

O poder de todas as artes

Espectáculos de música, dança e teatro integram ainda a programação do “Arte Macau”, que prevê para esta edição a realização de 40 actividades, incluindo eventos já existentes na região, como o Festival de Artes de Macau, as comemorações do Dia de Portugal e ainda o Festival Juvenil Internacional de Dança. Vários eventos vão sendo apresentados por fases, nomeadamente os concertos da Orquestra de Macau e da Orquestra Chinesa de Macau e os Festivais Juvenis Internacionais de Dança, Música e Teatro.

Para estes cinco meses de arte, o Governo contribuiu com um orçamento de 16,6 milhões de patacas, enquanto as seis operadoras de jogo entraram com três milhões de patacas cada, numa soma de 18 milhões.

“Um festival de artes de uma dimensão sem precedentes.” Foi assim que o Instituto Cultural da RAEM, um dos organizadores do evento, definiu a iniciativa, referindo em comunicado que esta pretende invocar “o poder de todas as artes do mundo para incentivar a criação artística local, potenciar o espírito humanístico de Macau e criar uma nova marca de turismo cultural”.

Também o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura da RAEM, Alexis Tam, sublinhou no dia da inauguração essa aposta no desenvolvimento cultural e artístico da região. “Hoje que estamos numa fase de desenvolvimento económico, precisamos de uma Macau com espírito mais enriquecido e uma cultura mais requintada, pelo que o ‘Arte Macau’ vai assumir esta tarefa como sua responsabilidade, para que diferentes criatividades artísticas possam ser partilhadas e que mais inovações culturais dêem frutos em Macau”, sublinhou.

Alexis Tam disse ainda que o “mega-evento”, que decorre até finais de Outubro, deve desempenhar “um papel principal e vital na transformação de Macau num centro mundial de turismo e lazer e numa cidade criativa em gastronomia”.

“Assim como no cumprimento da missão que Macau deve assumir de se desenvolver como uma base de intercâmbio e cooperação onde coexistem diferentes culturas predominando a cultura chinesa, estipulada nas Linhas Gerais do Planeamento para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”, reforçou o responsável.

Levar a arte aos bairros

Um dos destaques da programação deste festival é a 2.ª Exposição Anual de Artes entre a China e os Países de Língua Portuguesa, para a qual foram convidados a expor artistas chineses e portugueses em vários locais da cidade.

“Serão igualmente organizadas palestras temáticas e visitas guiadas artísticas, levando o festival até aos bairros comunitários e promovendo a participação de pessoas de todos os quadrantes da sociedade, com vista a proporcionar a todos os residentes e visitantes um Verão artístico memorável, cultivando, ao mesmo tempo, o espírito humanístico através da arte e potenciando o panorama cultural da cidade”, lê-se no website do evento.

Entre os eventos e exposições ao ar livre, o “Arte Macau” apresenta “Vagabundo”, uma série de 22 obras em fibra de vidro do artista local Wong Ka Long, inspiradas pelo poeta português Fernando Pessoa, que podem ser vistas nas Casas-Museu da Taipa. No Jardim da Fortaleza do Monte é possível encontrar por estes dias uma estrutura de bambu de sete metros. Trata-se de “Santuário”, projectado pelos arquitectos locais João Ó e Rita Machado. Já “Cabeças Felizes” é uma instalação da dupla franco-chinesa de artistas contemporâneos Benoit+Bo, que se encontra na Zona de Lazer da Praça de Jorge Álvares, e “Contemplação da Bondadeterna”, em torno do Museu de Arte de Macau, revela uma escultura de aço inoxidável do artista de Hong Kong Mok Yat San.

 

Programação

EXPOSIÇÕES

Reminiscências da Rota da Seda – Exposição de Relíquias Culturais da Dinastia Xia do Oeste

Até 6 de Outubro

Museu de Macau, terça-feira a domingo, 10h00 – 18h00

Gratuito para residentes de Macau

Exposição Internacional de Arte

Até 31 de Outubro

Museu de Arte de Macau, 2.º andar

Museu de Macau, terça-feira a domingo, 10h00 – 19h00

Entrada livre

Grace Kelly: De Hollywood ao Mónaco

Até 28 de Agosto

Galaxy Macau, domingo a quinta-feira, 10h00 – 22h00

Entrada livre

Encontros Inesperados

Até 31 de Outubro

City of Dreams, diariamente

Entrada livre

Hua Yuan

Até 3 de Setembro

MGM Cotai, diariamente

Entrada livre

Tudo o que é ouro brilha: Cerâmica Glamorosa

Até 9 de Outubro

The Venetian, The Parisian, Sands e Four Seasons,

diariamente

Entrada livre

Arte, apreciação, legado: Experiência de arte multidimensional de 360º

Até 31 de Outubro

Grand Lisboa, Jai Alai Oceanus, Ponte 16 e Regency Art Hotel, , diariamente

Entrada livre

Jardim das Delícias Terrenas

Até 6 de Outubro

Wynn Macau e Wynn Palace

Entrada livre

Interespaço

Até 31 de Outubro

Riviera Hotel

Entrada livre

2.ª Exposição Anual de Artes entre a China e os Países de Língua Portuguesa

Até 31 de Outubro

Avenida do Coronel Mesquita, 55-57

Entrada livre

Exposição de Pintura Chen Zhifo

Até 17 de Novembro

Museu de Arte de Macau

 

 

 

Um exemplo do grafite criado no âmbito do Festival de Arte Urbana Outloud

Contemplação da Bondade Eterna, do artista Mok Yat San de Hong Kong

Grace Kelly: De Hollywood ao Mónaco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DANÇA

“O Cerco” (Companhia de Dança Contemporânea Yang Liping)

7 de Setembro, 20h00

Centro Cultural de Macau

Bilhetes a partir de MOP 100

 

Noite de luar de Haojiang

13 de Setembro, 20h00

Centro Cultural de Macau

Bilhetes a partir de MOP 100

 

ARTE URBANA

Festival Outloud 2019!

Zona envolvente da Praça de Ponte e Horta

 

TEATRO

Festival Juvenil Internacional de

Teatro 2019

Até 8 de Setembro

Centro Cultural de Macau, Edifício do Antigo Tribunal, Casas-Museu da Taipa, Praceta do Museu de Macau

MÚSICA

 

Alban Gerhardt e a Orquestra de Macau

31 de Agosto, 20h00

Centro Cultural de Macau

Bilhetes a partir de MOP 150

Concerto de Abertura da Temporada 2019-2020 da Orquestra Chinesa de Macau

1 de Setembro, 20h00

Centro Cultural de Macau

Bilhetes a partir de MOP 150

 

INSTALAÇÕES AO AR LIVRE (Até 31 de Outubro)

 

Santuário

João Ó e Rita Machado (Macau)

Jardim da Fortaleza do Monte

Árvore de fruto

Choi Jeong Hwa (Coreia do Sul)

Centro Cultural de Macau

Cabeças Felizes

Benoit+BO (Bélgica)

Praça de Jorge Álvares

Contemplação da Bondadeterna

Mok Yat San (Hong Kong)

Praceta da Arte, Centro Cultural de Macau

Cavalo Tripulado de Prata n.º 5

Yu Fan (Pequim)

Anim’Arte, Lago Nam Van

Vagabundo

Wong Ka Long (Macau)

Casas-Museu da Taipa

 

 

ARTIGO