Terça-feira, Agosto 11, 2020
Inicio Espectáculos & Exposições Cartaz :: Fevereiro e Março de 2020

Cartaz :: Fevereiro e Março de 2020

ESPECTÁCULOS


AGENDA

Nijinsky: a não-biografia

O Ballet de Hamburgo sobe ao palco do Centro Cultural de Macau entre os dias 28 de Fevereiro e 3 de Março para levar à cena o trabalho do coreógrafo John Neumeier

Texto Catarina Mesquita | Fotos The Hamburg Ballet

Nijinsky é uma homenagem ao fenómeno Vatslav Nijinsky, bailarino clássico russo nascido na Polónia cuja técnica inovadora o levou a ser várias vezes referido como o “Deus da Dança” ou até mesmo “a oitava maravilha do mundo”.

O espectáculo criado em 2000 é um convite a entrar na vida lendária de um bailarino moderno que caminha sobre o limbo entre fama e loucura, entre a vida e a morte. “Esta não é uma peça biográfica. Um bailado nunca pode ser um documentário”, diz John Neumeier na página oficial da companhia de bailado alemã.

Nos movimentos trazidos a Macau celebra-se a figura de um revolucionário do balé do século XX. Durante os dez anos como bailarino, Vatslav Nijinsky criou novos parâmetros tanto técnicos como de expressão, apontando na direcção daquilo que viria a ser a dança moderna. Assombrado pela demência, o artista acabou por passar 30 anos da sua vida em asilos.

Dividido em dois actos, o bailado inclui uma paleta de compositores de renome da música clássica que vai de Chopin a Schumann e de Rimsky-Korsakov a Shostakovich, revelando uma variedade de estilos que vão ressoar na mesma sala de espectáculos.

A direcção do coreógrafo Neumeier desde 1973 tem levado a companhia de dança de Hamburgo a outro nível de performance de dança clássica, tendo já sido aclamada mundialmente. Nijinsky já chegou às salas de espectáculos de Paris, Madrid, Nova Iorque, Chicago, Hong Kong, Tóquio, Pequim e Xangai, para citar alguns exemplos.

Nijinsky promete duas horas e meia de um espectáculo revelador do talento dos artistas alemães. Os cenários e o guarda-roupa são também da autoria do coreógrafo.

28 de Fevereiro a 3 de Março

Bilhetes entre MOP 150 e 380

Centro Cultural de Macau

***

Os maestros do futuro

Em parceria com o departamento de direcção de orquestra do Conservatório de Xangai, a Orquestra Chinesa de Macau apresenta o concerto “Os Maestros do Futuro”, um concerto que visa apresentar ao público proeminentes talentos de Macau. Diferentes composições musicais serão dirigidas no palco do Teatro Dom Pedro V, com o apoio da direcção de Orquestra Chinesa que muito tem apoiado a educação musical local.

11 de Abril 2020

20h00

Teatro Dom Pedro V

Entre 100 e 120 patacas

Songs from far away

A peça de teatro da autoria de Simon Stephens conta a história de uma jovem que regressa de Nova Iorque para o funeral do seu irmão mais novo em Amsterdão. Um monólogo cheio de diferentes emoções, que vão da melancolia à revolta, e mostram o talento de Stephens, um dos melhores dramaturgos da sua geração, tendo já arrecadado galardões como o Prémio Pearson.

19 a 22 de Março

15h00 e 20h00

Teatro do Antigo Tribunal

Bilhetes a MOP 180

7.º aniversário Stella & Artists

A companhia de bailado local Stella Dance Centre celebra o sétimo aniversário com um espectáculo aberto ao público no dia 2 de Fevereiro. Sob a direcção de Stella Ho, o espectáculo visa demonstrar ao público o trabalho que os dançarinos locais têm vindo a desenvolver na educação de dança clássica e contemporânea e de danças tradicionais chinesas. Destaque para a coreógrafa convidada, de Hong Kong, Justyne Li, responsável por coreografar o dueto da noite.

2 de Fevereiro

Centro Cultural de Macau

15h30

Bilhetes entre MOP 150 e 200

“Move! Into the wildlife”

Um espectáculo interactivo em que toda a família pode participar e ser transformarda na personagem principal. “Move! Into the wildlife” é inspirado na obra “Move: The dynamic encyclopedia” e permite a quem visita o espaço aprender sobre a vida selvagem. Movimento, cor e muitas histórias permitem que toda a família fique a conhecer outros seres vivos que partilham connosco o planeta Terra.

Broadway Macau, 2.º andar

Até 9 de Fevereiro

12h00-20h00

Bilhetes a MOP 120

*****

EXPOSIÇÕES


AGENDA

teamLab: apelo à imersão

Durante o mês de Fevereiro, os limites entre a arte e o público são postos à prova em instalações de grande dimensão que apelam à participação de quem visita um verdadeiro laboratório de arte digital

Texto Catarina Mesquita

Fundado em 2001, o projecto teamLab chega a Macau em Fevereiro para desafiar os limites entre público e arte digital. Conhecida mundialmente pelas suas instalações digitais sem limites, a equipa da teamLab traz ao território “SuperNature” – uma colectânea de trabalhos que reúne arte, ciência, tecnologia, design e natureza.

As instalações são construídas por artistas, programadores, engenheiros, animadores digitais, matemáticos e arquitectos que têm como objectivo o aprofundamento da relação entre humanos e a natureza e entre público e arte.

Nas instalações da teamLab espera-se uma total imersão do público, que deixa de ser apenas um espectador para ter um papel activo na interacção com os objectos e luzes que fazem deste um dos espectáculos com menos fronteiras de sempre. “A noção de onde acaba o corpo humano e começa a peça de arte fica turva”, lê-se na página oficial do evento.

Na passagem por Macau vai ser possível conhecer instalações como “The Infinite Crystal Universe”, onde o público pode usar os seus smartphones para enviar pontos de luz num espaço de grandes dimensões. “Este trabalho é envolvente e muda de momento para momento de acordo com as pessoas que visitam no espaço”, segundo a página da teamLab.

“Mountains of Flowers and People” é outra das instalações que a teamLab mostra em Macau e foca-se nas alterações observadas na natureza com a mudança das estações. Caminhar pelo espaço fará com que os visitantes consigam mudar, com os seus próprios passos, o espaço envolvente.

Os trabalhos desta equipa multidisciplinar fazem parte de colecções permanentes de galerias e museus de arte como a Galeria de Arte de New South Wales (Sidney, Austrália), o Museu de Arte da Ásia (São Francisco, EUA) ou o Amos Rex de Helsínquia (Finlândia).

Em Macau será possível visitar este laboratório de arte digital entre as 10h00 e as 22h00 durante todo o mês de Fevereiro, na Cotai Expo. O evento é adequado para todas as idades e há preços especiais para famílias.

Cotai Expo, The Venetian Macau

Fevereiro 2020, entre 10h00 e 22h00

Encerra na segunda e quarta terças-feiras do mês

De MOP 168 a MOP 268

***

Anno Rattus 2020

25 artistas de Macau e uma escultura em forma de rato como tela para celebrar o Ano Novo Chinês. As esculturas estão integradas no Chinese New Year Street Art Fest, um festival que já conta com seis edições e que tem por objectivo atingir a participação de cerca de 300 artistas do território. Nesta união entre arte e tradição, promovida pela associação República das Artes, pretende-se contribuir para a indústria criativa de Macau e promover o intercâmbio entre artistas.

Até 22 Fevereiro

Anim’Arte Nam Van

Entrada Gratuita

Exposição Colectiva dos Artistas de Macau

Pintura, caligrafia, gravação de sinetes de Macau e outras formas de arte compõem mais uma edição da exposição colectiva, que reúne vários artistas de Macau há vários anos. Organizada pelo Instituto Cultural, a mostra apresenta 80 trabalhos seleccionados por um júri de especialistas do Interior do País, Taiwan e Hong Kong.

Até 23 de Fevereiro

Edifício do Antigo Tribunal

Entrada gratuita

10h00 – 20h00

Panorama dos Rios e das Montanhas 3.0

Evocando as mais belas paisagens do território chinês, “Panorama dos Rios e das Montanhas 3.0” é uma exibição de uma das dez obras de pintura mais célebres da China. Da autoria de Wang Ximeng, o rolo de 35 metros de comprimento e sete metros de altura é considerado o “auge da pintura paisagística verde-azulada” da Dinastia Song do Norte, que governou a China entre 960 e 1279. Instalações interactivas digitais sobre a obra vão ser disponibilizadas pela organização.

Até 15 de Março

Museu de Arte de Macau

Entrada gratuita

A Grande Viagem: A Cidade Proibida e a Rota Marítima da Seda

Em parceira com o Museu do Palácio de Pequim, o Museu de Arte de Macau traz ao público local uma nova mostra inspirada no tema “Uma Faixa, Uma Rota” onde será possível conhecer as trocas comerciais e culturais entre a China e o Ocidente através da Rota Marítima da Seda. A exposição inclui tesouros do palácio Qing, relíquias mais recentes como porcelanas e artesanato da Nova China, pinturas e restaurações de pinturas de “ilusão cénica”. Os visitantes vão poder conhecer as diferentes etnias ao longo da Rota Marítima da Seda bem como as transformações que se deram nas ciências e artes após a interacção chinesa com mercadores e missionários europeus.

Até 13 de Abril

Entrada Gratuita

Museu de Arte de Macau

ARTIGO