Sábado, Dezembro 5, 2020
Inicio Covid-19 Macau doa máscaras e equipamentos de proteção aos países lusófonos

Macau doa máscaras e equipamentos de proteção aos países lusófonos

Quinze entidades de Macau doaram 180 mil máscaras e mil equipamentos de proteção aos países lusófonos, anunciou o Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, organizador da iniciativa.

O Fórum “aproveitou a função de Macau como Plataforma para organizar e unir várias entidades e instituições sediadas” no território para “a doação aos oito países de língua portuguesa os materiais de proteção e de segurança, incluindo cerca de 180 mil máscaras” e mais de mil equipamentos, referiu numa nota divulgada hoje.

A cerimónia teve lugar hoje na sede do Fórum Macau. Citada no comunicado da instituição, a secretária-geral, Xu Yingzhen, disse acreditar que “todos os Governos e povos vão superar as dificuldades temporárias juntos, e recuperar a economia bem como retornar a vida normal mais cedo possível”.

Já o coordenador da Associação das Empresas Chinesas, Zhang Jie, afirmou que é partilhado “o sofrimento dos amigos dos países de língua portuguesa” e que as dificuldades podem ser enfrentadas em conjunto.

“Os materiais (…) serão mandados e transportados imediatamente”, acrescenta-se na mesma nota.

A China estabeleceu a região administrativa Especial de Macau como plataforma para a cooperação económica e comercial com os países de língua portuguesa em 2003, ano em que criou o Fórum de Macau.

Este Fórum tem um secretariado permanente, reúne-se a nível ministerial a cada três anos e integra, além da secretária-geral, Xu Yingzhen, e de três secretários-gerais adjuntos, oito delegados dos países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias France-Presse (AFP), a pandemia de covid-19 já provocou mais de 245 mil mortos e infetou mais de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

ARTIGO