Domingo, Maio 16, 2021
Inicio Urbanismo Mais lazer na Taipa

Mais lazer na Taipa

O Governo vai aproveitar quatro terrenos na Taipa para construir mais um parque, em resposta aos pedidos da população por mais espaços de lazer na cidade. A protecção ambiental foi uma das prioridades na concepção da zona, que terá o primeiro parque de skates da cidade

Texto Catarina Brites Soares

O projecto vai ser temporário, mas o Governo promete que mais tarde serão construídas instalações públicas permanentes. O novo parque de lazer que irá nascer na Taipa vai ter áreas de lazer, recreação e desporto a pensar nos adultos, idosos e crianças. O espaço vai ser construído em quatro terrenos não aproveitados da Taipa, e terá o primeiro half pipe da região.

Os pneus estarão na base da arquitectura da obra que também teve em conta a protecção do ambiente. À MACAU, o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) realça que a iniciativa pretende ir ao encontro das exigências da sociedade que pede “o uso adequado dos terrenos não aproveitados e o aumento dos espaços de lazer” na cidade. Também este ano, em Março, o Executivo anunciou um corredor verde na margem sul de Macau, a ligar o Centro de Ciência e a Deusa Kam Iam até à Barra, com espaços de lazer e desporto.

Em resposta à revista, o IAM sublinha que teve como referência outros parques de pneus em cidades da Europa, Estados Unidos, Japão e Interior da China, onde a iniciativa “tem merecido os aplausos dos cidadãos”.

A nova infra-estrutura vai crescer nas parcelas entre a Avenida de Kwong Tung, a Rua de Bragança, a Rua de Chaves e o Edifício Nam San, e funcionará como complemento ao Jardim Cidade das Flores e ao Parque Central da Taipa. “Contribuirá para o aumento da área de terrenos de lazer per capita da Zona Central da Taipa, enriquecendo a atmosfera de lazer dos bairros comunitários e elevando a qualidade de vida da população”, realça o IAM.

Em cooperação com a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA), o organismo assegura que será feito o tratamento, limpeza, desinfecção e polimento dos pneus para evitar que representem riscos de saúde pública. “Após a conclusão do parque, o instituto realizará inspecções periódicas, manutenção e, se necessário, substituirá os pneus para assegurar a higiene e segurança.”

À volta da área de 19 mil metros quadrados vai haver pistas de corrida e de patins com um comprimento de 660 e de 655 metros, respectivamente, separadas por gradeamentos baixos feitos de pneus, “a fim de garantir a segurança dos transeuntes, desportistas e crianças”.

Para aumentar a taxa de arborização, o IAM promete plantar mais árvores e outras plantas, e conservar as que já existem. Haverá ainda quiosques, máquinas de venda automática, esplanadas, salas de amamentação e instalações sanitárias sem barreiras arquitectónicas. O projecto, que custará 30 milhões de patacas e deverá estar concluído na segunda metade do próximo ano, inclui ainda oito zonas de actividades recreativas a pensar nas diferentes faixas etárias.

Planos

Aquando da apresentação das novas instalações em Agosto, o secretário para a Administração e Justiça, André Cheong, referiu que o plano director iria entrar em consulta pública a partir de 4 de Setembro, e que se tratava de um projecto provisório. “O que queremos é um aproveitamento provisório, temporário, em relação aos terrenos não aproveitados. E depois teremos um aproveitamento mais definitivo desses espaços. [Os planos para] essas quatro parcelas vêm ao encontro das explicações que demos à Assembleia Legislativa em Abril. Neste momento o parque é provisório, entretanto teremos de ver como será o plano director.”

André Cheong garantiu que, posteriormente, serão construídas instalações públicas permanentes. Durante a conferência de imprensa do Conselho Executivo, a 21 de Agosto, o secretário acrescentou que a posição do Governo, relativamente à finalidade dos quatro terrenos não aproveitados, é articular o desenvolvimento comunitário da Taipa, a construção de instalações desportivas e jardins, bem como melhorar a qualidade ambiental e de vida na comunidade. “Quanto à construção de instalações públicas permanentes nos referidos terrenos, o mesmo responsável explicou que para o Governo é necessário haver uma articulação com o planeamento urbano, com as opiniões recolhidas na consulta pública, e com uma série de procedimentos legais, o que levará alguns anos”, lê-se numa nota oficial. 

O responsável explicou ainda que a construção do parque de lazer no centro da Taipa vai implicar a destruição do edifício de uma fábrica de vestuário que funcionou até finais dos anos de 1960. Cheong referiu que os terrenos estão em más condições higiénicas, e que a fábrica se encontra abaixo do nível da estrada, acumulando água. “É uma situação grave, um risco para a saúde pública, tendo gerado críticas e queixas dos residentes que desejam uma solução. Além disso, as placas de amianto que cobrem as fábricas são materiais proibidos de construção, que têm de ser removidos”, alertou.

André Cheong salientou que, após consultar o Instituto Cultural, a fábrica não é um edifício a preservar nos termos da Lei de Salvaguarda do Património Cultural. “A fábrica só funcionou três anos. De acordo com o parecer do Instituto Cultural, não integra grupos de imóveis classificados ou não é considerado imóvel protegido. Como detectámos riscos para a segurança e saúde pública, queremos demolir o mais rápido possível”, frisou.

***

Paraíso de pneus

À MACAU, o IAM sublinha que o parque será diferente se comparado com outras zonas de diversão infantil de Macau. “Serão utilizados pneus de diferentes tamanhos e formatos para criar um espaço de diversão interessante, colorido e seguro, incluindo uma zona de subidas, uma ponte suspensa, uma casinha, piscina de pneus e um labirinto de aptidão física. Os pneus serão usados como dispositivos de grande porte no parque, oferecendo às pessoas de todas as idades um lugar popular.”

Relvado para pais e filhos

Espaço multifuncional próximo da natureza, com dispositivos artísticos como bonecos, casinhas, árvores de pneus, baloiços de pneus, assim como esculturas em forma de animais, com funções decorativas, mas também para trepar.

O mundo de água e areia

Destinado a crianças e jovens, estará dividido em duas zonas. Na parte superior, haverá uma grande piscina de areia e uma pirâmide em forma de espiral com fluxo de água. A parte inferior terá uma combinação entre os pneus e a piscina de areia, usando dois escorregas de pedra de grande dimensão e uma rampa de pneus para fazer a ligação. A ideia é criar um espaço tridimensional de divertimento, onde as crianças possam brincar com areia e água, para aprender e treinar o tacto, a criatividade e a imaginação.

Área de skate

Foi a pensar nos jovens e nos amantes do desporto que o IAM diz ter decidido ter o primeiro half pipe da cidade. As rampas terão o piso em formas geométricas coloridas “para dar uma imagem vibrante”.

Campo da alegria

Zona com campos de futebol, de basquetebol, de voleibol e de badmínton, rodeada por instalações de manutenção física, caminho de seixos, corredores com cobertura contra o sol e bancos.

ARTIGO