Terça-feira, Setembro 22, 2020
Inicio Cultura

Cultura

Os anos mais Dóci

É irreverente, mordaz e dá corpo, ano após ano, a um dos momentos mais aguardados da vida cultural da cidade. O grupo Dóci Papiaçám di Macau subiu pela primeira vez ao palco há 25 anos e deu nova vida ao doce falar de um dialecto em vias de extinção

O museu que cresceu com a RAEM

Duas décadas depois de abrir portas, o Museu de Arte de Macau não se afirma apenas como um lugar de exposição. A educação artística da população está hoje bem presente naquele que é o único museu em Macau dedicado exclusivamente à arte

De Macau para os palcos de Londres

Zachary (Zach) Wyatt apaixonou-se pelo teatro quando ainda era um estudante na Escola das Nações, em Macau, ao participar no musical “Oliver!”. Agora está prestes a estrear-se na peça “Eu e Tu” (“I and You”), no palco do Teatro Hampstead de Londres, ao lado da estrela da série “Game of Thrones”, a actriz Maisie Williams

Cerâmica de Shiwan conta história e tradições chinesas

É considerado um espólio único. Proveniente da colecção privada do advogado português Manuel da Silva Mendes, a cerâmica de Shiwan esteve em exibição no Museu de Arte de Macau. Peças de grandes dimensões ou miniaturas em barro e vidro que contam histórias da cultura e tradições chinesas

Macau vai organizar Festival Internacional de Artes que inclui Dia de Portugal

Macau vai organizar o Festival Internacional de Artes em 2019 que vai integrar outros eventos já existentes no território, entre os quais as festividades do Dia de Portugal, anunciou hoje à Lusa o Instituto Cultural (IC) de Macau.

(Con)Tributo a Macau

Fruto daquilo que seria uma aventura por apenas alguns meses, Macau tornou-se para o colectivo musical português Paradise Hotel uma nova casa. Com o apoio da Casa de Portugal em Macau, os jovens músicos Tomás Ramos de Deus, Miguel Noronha de Andrade, Luís Bento e Paulo Pereira têm contribuído para uma cidade com mais música. Uma aventura de cinco anos que, acima de tudo, lhes tem dado tempo e espaço para criar.

O pulsar da cidade no pequeno ecrã

Pela primeira vez, Macau está a produzir uma telenovela a ser transmitida no Interior do País que pretende mostrar como é o dia-a-dia da população local. O humor aliado ao quotidiano da região é o eixo central desta nova produção.

Um “encontro em Macau”

A primeira edição do Festival de Artes e Cultura entre a China e os Países de Língua Portuguesa teve lugar no passado mês de Julho e veio fortalecer o papel de Macau como plataforma de intercâmbio, desta vez no campo artístico. Ligar “o clássico à vanguarda” escreve um novo capítulo nas relações sino-lusófonas.

Jade | No verde está a virtude

Se virtude fosse uma coisa palpável no mundo físico, seria certamente feita de pedra polida e esverdeada, pelo menos na concepção da cultura chinesa. É que, na China, é mesmo isso que o jade representa: um autêntico concentrado de virtudes do reino mineral. Acaba por ser, assim, e de longa data, uma das matérias-primas favoritas para a manufactura de amuletos e jóias, sendo mesmo a pedra semipreciosa mais popular entre os chineses. Não é à toa que pode ser encontrada à venda em praticamente todo o país.

Actor residente de Macau estreia-se com Maisie Williams

Zach Wyatt formou-se recentemente pela Escola de Música e Teatro Guildhall.

Mostra com seis exposições junta obras de 27 artistas lusófonos e da China em Macau

Vários espaços em Macau acolhem, a partir de 9 de Julho, a mostra “Alter Ego” composta por seis exposições e uma intervenção de arte urbana por 27 artistas de Portugal, países lusófonos e da China.

Lio Kuokman | Pauta e rota de um maestro afortunado

Estudou piano numa das mais conceituadas escolas de música do planeta e direcção de orquestra com alguns dos principais pesos pesados da música erudita internacional. Perdeu o primeiro emprego para a crise norte-americana do subprime, mas não baixou os braços e em 2014 assinou a melhor participação de sempre de um jovem maestro no Concurso Internacional de Direcção de Orquestra Svetlanov, ao arrecadar não um, mas três prémios. No mesmo ano, tornou-se o primeiro maestro chinês a dirigir a prestigiada Orquestra de Filadélfia, onde permaneceu durante dois anos e, desde então, tem actuado com algumas das mais ilustres orquestras mundiais. Os críticos louvam-lhe a subtileza, a sensibilidade e um "indispensável sentido de controlo", mas o jovem maestro, nascido em Macau no início da década de oitenta, diz que mais do que ao talento, deve à fortuna uma carreira a todos os níveis admirável. Lio Kuok-man em discurso directo.