Domingo, Julho 12, 2020
Inicio Lusofonia

Lusofonia

Um ano para mais tarde recordar  

Uma reconciliação há muito aguardada, a construção de novas sinergias e o regresso do intercâmbio comercial a terreno positivo, após dois anos menos frutuosos em termos de negócios. O ano que terminou em Dezembro foi um dos mais profícuos da última década no que concerne ao fomento das relações entre a República Popular da China e os países de língua portuguesa, sobretudo no que toca aos avanços notórios verificados no capítulo da aproximação de Pequim ao universo lusófono.

Vinte e dois escritores confirmados no Festival Literário Internacional do Interior

Um total de 22 escritores nacionais e estrangeiros, lote que inclui o chileno Luís Sepúlveda e a activista dos direitos humanos libanesa Joumana Haddad, foi confirmado no Festival Literário Internacional do Interior, que decorre em Junho. De Macau segue Yao Feng.

Macau leva alimentos lusófonos à primeira exposição de importações da China

O Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) vai levar os produtos dos países lusófonos à primeira exposição internacional de importações da China, em Novembro, em Xangai.

Editor-chefe da TDM vai assumir direcção da rede externa da Global Media

O editor-chefe do serviço informativo em inglês da Teledifusão de Macau (TDM) vai assumir a direcção da rede externa da Global Media, que vai funcionar no território como plataforma para internacionalização do grupo nos países lusófonos.

Rota das Letras com brasileiro Julian Fuks e portuguesa Ana Margarida de Carvalho

O escritor brasileiro Julian Fuks e a portuguesa Ana Margarida de Carvalho vão participar na próxima edição do Festival Literário de Macau-Rota das Letras, em Março, anunciou a organização.

Comércio entre a China e os países de língua portuguesa sobe 29,47%

As trocas comerciais entre a China e os países de língua portuguesa subiram 29,47% nos primeiros 11 meses de 2017, em termos anuais homólogos, atingindo 107,75 mil milhões de dólares.

Advertências Confucianas em português 

“O livro em vez de suor tem sangue.” É assim que o brasileiro Giorgio Sinedino, autor da primeira tradução directa do chinês para o português d’Os Analectos de Confúcio, descreve o processo de trabalho. Além das dificuldades impostas pelo chinês arcaico, o autor teve de recuar milénios no tempo na cultura chinesa.

Breve enciclopédia portuguesa da tradução da poesia chinesa clássica 

Poetas concretistas brasileiros, jesuítas portugueses ou diplomatas e professores da actualidade pertencem a um limitado grupo de profissionais de língua portuguesa que se dedicou à tradução da poesia clássica chinesa. Desde o Livro dos Cantares, a mais antiga antologia existente de poemas chineses, passando pela poesia da Dinastia Tang, a tradução nasce muitas vezes a partir de segundas línguas, embora sejam de referir casos em que a passagem para o português seja feita de forma directa. A publicação de várias obras nas últimas décadas levou a MACAU a preparar uma breve enciclopédia da tradução de poesia chinesa para o português.

PLPEX 2017 | Uma montra para a China 

Empresários dos países de língua portuguesa não têm dúvidas de que Macau é o primeiro passo rumo ao mercado chinês. Pela primeira vez de forma independente da Feira Internacional de Macau, decorreu a Exposição de Produtos e Serviços dos Países de Língua Portuguesa (PLPEX) com o objectivo de reforçar o papel de Macau enquanto plataforma de cooperação entre a China e o bloco lusófono. Para os participantes, o balanço desta primeira experiência é bastante positivo.

Fundo China-Países de Língua Portuguesa | Cadeia de investimento

As empresas de Macau podem explorar parcerias com o Interior do País para investir nos países de língua portuguesa com o apoio do Fundo de Cooperação e Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa, defendem responsáveis por esta plataforma de financiamento

Macau enaltece papel do congresso da APAVT

O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura de Macau enalteceu o uso da cidade anfitriã do congresso da APAVT como plataforma de relações entre a China e os países de língua portuguesa.

Cozinheiros juntam-se para criar uma nova gastronomia comum aos países lusófonos

A criação de uma "nova linguagem gastronómica", comum aos países lusófonos, aproveitando os produtos locais para desenvolver novas receitas, é o "desafio inédito" a que pretende responder o Observatório da Gastronomia da Lusofonia.