Terça-feira, Junho 2, 2020
Inicio Lusofonia

Lusofonia

O homem que faz o que pode

O arquitecto José Forjaz está em Moçambique há quase 50 anos. Ganhou vários prémios internacionais e é autor de alguns dos principais monumentos de Moçambique. Para ele, a arquitectura tem como primeiro objectivo defender a espécie e a pessoa

A marca Portugal

São actividades difíceis de contabilizar. A Casa de Portugal em Macau (CPM) tem vindo a desenvolver nos últimos anos um programa intenso virado para a área cultural, que se pauta pela continuidade.

Chang Hexi, secretário-geral do Fórum Macau

Bom conhecedor da realidade lusófona e fluente em português, Chang Hexi é o novo secretário-geral do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Entusiasmado com este novo desafio, já lá vão mais de duas décadas desde que partiu para Lisboa para aprender a língua de Camões. Desde então nunca mais parou e faz agora de Macau a sua nova casa

O regresso do olímpio em português

“... gostava que fosse possível que em paralelo com os Jogos da Lusofonia decorressem provas de desporto para deficientes em várias categorias.”

Onda lusófona

Pode ser influência do governo central, visto como uma espécie de padroeiro das associações de matriz lusófona com a sua política de impulsionar Macau como plataforma entre a China e os países de língua portuguesa. Pode ser uma moda, um efeito de contágio ou necessidade de preencher vazios. Pode ser a soma de estes e outros factores, ou, pura coincidência. Mas, certo, certo, é que nunca, como hoje, o associativismo lusófono esteve tão movimentado

Português de todas as cores em Macau

Com o português como língua oficial Macau atrai gente de todos os países onde se fale a língua. Vêm à procura de melhores oportunidades de emprego e encontram-nas. Só dos países africanos de língua oficial portuguesa estima-se que sejam várias centenas de residentes.

Visita à Lusofonia

Repórteres do jornal de Hong Kong Ta Kung Pao viajaram durante mais de um mês por quatro países de língua portuguesa e concluíram que as relações entre as nações lusófonas e a China seguem de vento em popa. O papel de Macau é referido como essencial e insubstituível

Ser português na Malásia

Quase quinhentos anos após a conquista de Malaca por parte dos exércitos de Afonso de Albuquerque, sobrevive na cidade uma comunidade que se soube reinventar à luz da nostalgia. Uma comunidade que se diz portuguesa e que teima em manter vivos o papia kristang e a identificação com um Portugal a quatro séculos e oito mil quilómetros de distância

Quatro continentes, uma língua

Primeiros Jogos da Lusofonia com uma abrangência universalista

Do sonho da independência à reconstrução de um país

Kay Rala Xanana Gusmão acredita que, em termos de cooperação económica, Macau pode ser um centro com muito interesse para Timor-Leste. “Considero, aliás, que a criação do fórum empresarial entre a China e os países de língua portuguesa constitui um importante instrumento de trabalho para desenvolver as nossas relações”