Sexta-feira, Setembro 17, 2021
Inicio Tradições

Tradições

Tradições | Festival do Solstício de Inverno

O Festival do Solstício de Inverno, que este ano tem lugar a 22 de Dezembro, é tido como o segundo festival mais importante do calendário festivo chinês, depois do Ano Novo Lunar. As primeiras referências na China à comemoração do Solstício de Inverno como um festival remontam à dinastia Han (206 a.C. a 220 d.C.)

Festejar os antepassados

O culto dos antepassados na China remonta, como na maior parte das culturas e civilizações, aos primitivos tempos do homem, com um papel de destaque nas práticas animistas

A ópera e as festividades chinesas

A ópera chinesa, nos seus variados estilos, é uma das manifestações da cultura chinesa mais apreciada, nomeadamente como espectáculo ritual sempre presente nos aniversários das divindades. Em Macau, é a ópera cantonense que tem maior relevo, demonstrando assim a sua ligação profunda à religião e cultura populares

A rainha dos céus

Macau deve a razão de existir ao mar. É a sua localização, como um porto de abrigo natural e protector nas tempestades, que proporcionou a fixação de pescadores, comerciantes e aventureiros. Por tal, não será de estranhar a devoção à protectora, assim como a importância da sua festa no 23.º dia da terceira lua, quando se comemora o aniversário da ‘rainha dos céus’, a protectora dos mareantes e pescadores: A-Má também conhecida por Mazu e Tin Hau

O Imperador do Norte

A festa anual dedicada a Pak Tai, no dia do seu aniversário, realiza-se no terceiro dia da terceira Lua, pelo que este ano tem lugar a 7 de Abril. A data comemora-se com a representação de uma ópera sobre a guerra sagrada

Kuan Tai, Deus da guerra e da riqueza

Kuan Tai ou, em mandarim, Guan Di (關帝), o Deus da Guerra e da Riqueza, foi um grande herói do tempo dos Três Reinos (220–280), sendo a divindade mais conhecida e reverenciada em todas as comunidades chinesas, no país ou na diáspora.

Jade | No verde está a virtude

Se virtude fosse uma coisa palpável no mundo físico, seria certamente feita de pedra polida e esverdeada, pelo menos na concepção da cultura chinesa. É que, na China, é mesmo isso que o jade representa: um autêntico concentrado de virtudes do reino mineral. Acaba por ser, assim, e de longa data, uma das matérias-primas favoritas para a manufactura de amuletos e jóias, sendo mesmo a pedra semipreciosa mais popular entre os chineses. Não é à toa que pode ser encontrada à venda em praticamente todo o país.

Festival do Barco-Dragão

O Festival do Barco-Dragão, em honra do poeta Qu Yuan (屈原) que viveu no Período dos Estados Combatentes, tem lugar no 5.º dia da 5.ª Lua. Conhecido também como o duplo cinco, neste ano de 2018 calha no dia 18 de Junho do Gregoriano.

Patuá | Uma língua que teima em viver 

A sentença é há muito conhecida: com um número de falantes que não chega à centena e há várias gerações arredado do domínio do lar, o patuá é uma língua virtualmente morta. No entanto, “o papiá cristam di Macau” nunca foi tão estudado como agora, nunca teve tanta visibilidade e nunca esteve tão presente no imaginário comum da região. No ano em que o grupo Dóci Papiáçam di Macau completa um quarto de século, a MACAU tenta perceber o que reserva o futuro a uma manifestação que mais do que um mero idioma, é uma marca incontornável da identidade da comunidade macaense. O futuro da língua maquista, dizem os especialistas, pode estar, em grande medida, no mundo virtual.

Paixão pelo bambu

A utilização do bambu como material de construção em Macau é uma prática secular, que tem passado de geração em geração sem que exista um manual, um livro. Três arquitectos portugueses empenham-se agora para que este conhecimento adquirido de forma empírica entre para a lista de património imaterial de Macau.

Como decorar a sua casa para receber o Ano do Cão 

Os chineses fazem a maior parte da decoração para a festividade do Ano Novo Chinês, também conhecido como Festival da Primavera, na véspera da chegada do novo ano, mas os preparativos geralmente começam até um mês antes, com a escolha de objectos auspiciosos para adornar a casa. A MACAU deixa aqui uma lista de decorações que não podem faltar para ter o Cão como fiel companheiro do seu ano 

O cão (戌狗), o ancestral companheiro

Um dos aspectos mais interessantes no estudo da mitologia dos povos e da sua simbologia, para além das singularidades de cada cultura específica, é a transversalidade da experiência humana naquilo que parece ser-lhes comum.