Terça-feira, Agosto 11, 2020
Inicio Tags RM 63

Tag: RM 63

(Con)Tributo a Macau

Fruto daquilo que seria uma aventura por apenas alguns meses, Macau tornou-se para o colectivo musical português Paradise Hotel uma nova casa. Com o apoio da Casa de Portugal em Macau, os jovens músicos Tomás Ramos de Deus, Miguel Noronha de Andrade, Luís Bento e Paulo Pereira têm contribuído para uma cidade com mais música. Uma aventura de cinco anos que, acima de tudo, lhes tem dado tempo e espaço para criar.

Kuan Tai, Deus da guerra e da riqueza

Kuan Tai ou, em mandarim, Guan Di (關帝), o Deus da Guerra e da Riqueza, foi um grande herói do tempo dos Três Reinos (220–280), sendo a divindade mais conhecida e reverenciada em todas as comunidades chinesas, no país ou na diáspora.

O pulsar da cidade no pequeno ecrã

Pela primeira vez, Macau está a produzir uma telenovela a ser transmitida no Interior do País que pretende mostrar como é o dia-a-dia da população local. O humor aliado ao quotidiano da região é o eixo central desta nova produção.

Um “encontro em Macau”

A primeira edição do Festival de Artes e Cultura entre a China e os Países de Língua Portuguesa teve lugar no passado mês de Julho e veio fortalecer o papel de Macau como plataforma de intercâmbio, desta vez no campo artístico. Ligar “o clássico à vanguarda” escreve um novo capítulo nas relações sino-lusófonas.

Jade | No verde está a virtude

Se virtude fosse uma coisa palpável no mundo físico, seria certamente feita de pedra polida e esverdeada, pelo menos na concepção da cultura chinesa. É que, na China, é mesmo isso que o jade representa: um autêntico concentrado de virtudes do reino mineral. Acaba por ser, assim, e de longa data, uma das matérias-primas favoritas para a manufactura de amuletos e jóias, sendo mesmo a pedra semipreciosa mais popular entre os chineses. Não é à toa que pode ser encontrada à venda em praticamente todo o país.

Toponímia | Histórias de Rua

Os nomes das ruas de Macau, gravados em azulejo e escritos em duas línguas, são testemunha – e muitas vezes única fonte – de alguns dos mais importantes episódios da história da cidade. A MACAU saiu à rua, visitou bairros antigos, falou com quem lá mora, com historiadores e biógrafos, e recolheu algumas das histórias que estes lugares têm para contar.

“O objectivo é que os alunos dominem as línguas portuguesa e chinesa”

A directora da Zheng Guanying defende que a escola está a cumprir os objectivos do bilinguismo, mas assume que se pode fazer mais no acompanhamento dos alunos e na cooperação com os encarregados de educação. Wu Kit garante que o ensino bilingue, testado este ano em duas turmas, foi um sucesso. Para o ano lectivo 2018/2019, vai duplicar o número de turmas.

Culturas e línguas a pensar nas novas gerações

A Escola Oficial Zheng Guanying entrou em funcionamento em 2011 nas instalações da antiga Escola Primária Luso-Chinesa de Tamagnini Barbosa. Trata-se de um projecto-piloto do Governo de Macau, que tem em vista a diversificação do sistema educativo das escolas oficiais locais. Ao contrário da maioria dos estabelecimentos de ensino de Macau, cuja instrução é feita em cantonês, aqui o mandarim, o português e o inglês são as línguas de ensino. O objectivo é que os alunos se tornem multilíngues e multiculturais.

Engenharia | A China na linha da frente da inovação

“A ponte é grande. Tem muitas faixas de rodagem, tem um vão muito grande, tem isso tudo. Há ali um certo incremento de capacidade técnica e de melhoramento, uma tentativa de ultrapassar os limites que antigamente não era muito frequente.” A análise de José Maneiras é válida para a Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, mas também poderia descrever uma mão cheia de grandes projectos de construção de infra-estruturas que a República Popular da China tem ou teve em mãos ao longo das duas últimas décadas.

Travessia do Delta | Uma ponte sem igual

A Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau ainda não foi inaugurada, mas já ganhou um lugar por direito próprio no rol dos mais desafiantes projectos de engenharia alguma vez concebidos. A travessia do Delta estabelece vários novos recordes em termos de dimensão, mas a magnitude da estrutura não se fica pelos números. Durante os últimos nove anos, a empreitada de construção da obra revelou-se um viveiro de inovação em termos técnicos e tecnológicos. Da maior grua do mundo ao aço com materiais compósitos concebido propositadamente para o projecto, passando por asfalto com um tempo útil de vida de 15 anos, a MACAU explica-lhe por que razão a nova travessia Hong Kong-Zhuhai-Macau é uma ponte sem rival.